Blog

Início, Blog , O que esperar da TI nos próximos meses?

O que esperar da TI nos próximos meses?

20/02/2018

- Categoria: Dicas, Redes

As atividades dos primeiros meses do ano inevitavelmente dividem espaço com expectativas para os meses que ainda estão por vir. Começar um novo ano é como entrar em uma nova casa e tentar prever tudo o que será vivido ali dentro. Porém, para quem coordena uma equipe, as previsões vão além de especulações, servindo principalmente como suporte para planejar o novo ciclo.

Talvez por se tratar de um mercado em constante e rápida expansão, as projeções para 2018 na área da tecnologia da informação estão fortemente baseadas no cenário que já acompanhamos no último ano, marcado principalmente pela vulnerabilidade de aplicações e a popularização da internet das coisas (IoT).

Além de olharmos para trás, para priorizarmos o que requer bastante atenção nesse ano, também levamos em consideração as principais tendências nas áreas de infraestrutura e operações apontadas pelo Gartner. Confira:

Adesão da nuvem

Devido a resistência que algumas empresas têm em ceder a algo tão intangível, mesmo que lentamente, a adesão pela nuvem é uma tendência comprovada. Para as empresas que decidem aderir à nuvem, há inúmeros benefícios, como a redução significativa de custos com infraestrutura dispensando a compra de materiais físicos e, consequentemente, suas manutenções. Além disso, por contarem com soluções robustas, provedores disponíveis no mercado podem garantir disponibilidade com muita transparência, sem impactar no trabalho de quem contrata em caso de alguma eventualidade.

Por ser muito flexível e permitir um ótimo dimensionamento, a migração de máquinas virtuais pode ser feita de acordo com a necessidade de sua empresa. Com isso, o pagamento pode ser compatível com a sua utilização e, quando necessário, a alocação de máquinas ainda pode ser feita de forma automática e transparente.

Além de ser usada por populares serviços de streaming, como Netflix e Spotify, e por outras inúmeras ferramentas online, a nuvem é extremamente versátil podendo ser aplicada por empresas de qualquer ramo pelo fato de suportar diferentes tipos de serviço, como servidores de e-mail, sites, sistemas web, banco de dados, etc.

Internet das coisas (IoT)

O conceito original de internet das coisas (internet of things, em inglês) se refere à conexão de objetos com a internet. Por esse motivo, cresce a necessidade de garantir sigilo e segurança no mesmo ritmo em que ela ganha grande abrangência. Isso porque infelizmente a maioria dos equipamentos não trazem consigo muitos mecanismos de segurança de fábrica, o que, se não tratado com atenção, pode abrir espaço para conexões perigosas.

No meio corporativo o ideal é que todos os itens que possuem vínculo com a internet possam ser mapeados e que a proteção possa ser planejada como um todo, levando em consideração sistemas, redes e dados.

 

Essas são apenas sugestões de áreas interessantes para dedicarmos maior atenção em 2018 e que consideramos mais importantes por um grande motivo em comum: medidas de segurança são indispensáveis nos três casos.

Em 2017 acompanhamos ataques recorrentes em grandes empresas que tiveram seus arquivos e dados sequestrados ou mesmo serviços prejudicados por ransomware, como foi o caso da Telefónica, proprietária da Vivo no Brasil, e do Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido. Na verdade, de todos os usuários atingidos durante o último ano, 26,2% eram corporativos.

Mesmo com tanta exposição, a boa notícia é que os altos prejuízos causados pela vulnerabilidade na infraestrutura corporativa podem ser evitados com boas práticas e investimentos corretos. Além de manter o sistema operacional atualizado, investir em solução de controle de acesso, contar com um bom antivírus e um servidor exclusivo para backups, a segurança de sua empresa pode ser reforçada com as soluções da Sophos.

Entre as opções está o Intercept X, capaz de detectar com antecedência até mesmo ameaças desconhecidas, ataques de ransomware, assim como efetuar seu bloqueio antes que o malware possa prejudicar o acesso de dados e informações. Já o XG Firewall, líder no Quadrante Gartner e recomendado pelo NSS Labs principalmente pela sua eficácia e custo-benefício, bloqueia ameaças desconhecidas com um conjunto abrangente de proteção avançada, responde automaticamente a incidentes identificando e isolando instantaneamente os sistemas infectados e exporta riscos ocultos na rede, incluindo aplicativos desconhecidos, usuários de alto risco, ameaças avançadas e cargas úteis suspeitas.

Entre em contato com nosso comercial para conhecer melhor essas e outras alternativas de segurança corporativa: comercial@atua.com.br ou (54) 3045-8100.

Quer receber nossas novidades por e-mail?